Capítulo 16 - Netuno e Plutão e seus Ciclos - amostragem




Seu Livro de Vida

Quase tudo o que você quer saber
sobre Astrologia da Alma e do Auto-Conhecimento
Em 22 Capítulos/Volumes
© 2008 Janine Milward






Capítulo  16


Netuno e Plutão

A Transcendência

A Metamorfose e a Regeneração

e seus Ciclos

Janine Milward


Editora Estrela do Belém



SEU LIVRO DE VIDA

AMOSTRAGEM DO CAPÍTULO 16
Netuno e Plutão e seus Ciclos
A Transcendência e a Metamorfose e Regeneração

Trazendo a descrição completa dos Temas a serem abordados
E alguns trechos dos vários textos apresentados

Em
 http://seulivrodevida.blogspot.com
você encontrará
a Amostragem de cada um dos 22 Capítulos/Volumes
e também
Como Adquirir os Capítulos/Volumes de Seu Livro de Vida!


Temas a serem abordados no Capítulo16 ORIGINAL
(82 páginas):


Dois Dedos de Prosa, caro Amigo das Estrelas!

Apresentação da Obra
Seu Livro de Vida
Sobre Seu Livro de Vida
e sobre O Risco do Bordado,
o mapa astral natal,
e sobre os demais mapas coadjuvantes
Sobre o Encadeamento dos Temas
ao longo dos 22 Capítulos/Volumes de Seu Livro de Vida
Síntese dos 22 Capítulos


Netuno e Plutão,
Na Astronomia e na Mitologia


PRIMEIRA PARTE

Sobre a vida da humanidade
antes e depois da descoberta
dos Planetas Urano, Netuno e Plutão

Considerações e Reconsiderações
acerca da Vida Pessoal e Social e Transpessoal e Universal,
em nosso Planeta Terra e sua Natureza e no Homem

Outras Considerações e Reconsiderações acerca de Netuno e de Plutão
e do Transplutoniano ainda não-descoberto (que eu denomino de Ísis)
(quando eu digo Considerações e Reconsiderações, quero significar que alguns trechos são atuais e outros trechos são colagens de aulas anteriores)


SEGUNDA PARTE

Andamentos de Netuno e de Plutão
Do começo do Século Vinte, passando pelo Século Vinte e Um,
- inaugurando o verdadeiro começo da Era de Aquário, no miolo do Século Vinte e Um -,
até o começo do Século Vinte e Dois!

 Sobre Netuno e Plutão em relação aos seus lugares natais e em relação aos lugares que vão visitando, Signos e Casas,  ao longo de nossa vida
- Os Ciclos de Netuno e de Plutão
dentro de seus Aspectos mais harmoniosos e menos harmoniosos
e dentro das características próprias de suas órbitas em torno ao Sol

 Os Aspectos de Semi-Sextil, Sextil, Quadrado, Trígono, Quincúncio e Oposição
de Netuno

 Os Aspectos de Semi-Sextil, Sextil, Quadrado, Trígono, Quincúncio e possível Oposição de Plutão

 Os Quadrados de Netuno e de Plutão

As Oposições de Netuno e de Plutão

Ainda Dois Dedos de Prosa sobre Netuno, Plutão e Ísis

Os Quatro Atos da Vida contendo os Ciclos de Netuno através seus Aspectos até alcançar sua Oposição... e de Plutão (apenas em sua Quadratura e em sua Oposição)
entremeados aos Ciclos de Júpiter, Saturno, Quíron e Urano


TERCEIRA PARTE

Exemplos Práticos
extraídos de aulas práticas para Caminhantes/Alunos do Curso Amigos das Estrelas
Seu Livro de Vida Personalizado




Netuno e Plutão e seus Ciclos


ALGUNS TRECHOS EXTRAÍDOS DO CAPÍTULO 16:


Dois Dedos de Prosa
Sobre a vida da humanidade antes e depois da descoberta
dos Planetas Urano, Netuno e Plutão

Viemos estudando, nas aulas recentes, os Ciclos de alguns Planetas, começando com Urano, o Despertar da consciência mais ampliada, o corte guilhotinal que nos leva a um redesenhamento de nossa vida; depois, estudamos os Ciclos de Saturno, o Senhor do Umbral, o limite dos arquétipos que traduzem nossa consciência mais objetivada; estudamos também a Ponte entre a consciência mais objetivada e a (in)consciência mais subjetivada sendo realizada através de Quíron, o Mestre dos mestres e curador ferido.  Ainda também estudamos os Ciclos do deus dos deuses e dos homens, Júpiter, benfeitor e justiceiro.  Estamos agora diante do estudo dos Ciclos pertencentes a Netuno e a Plutão e estaremos também estudando o entremeamento de todos os demais Ciclos estudados até então!

A humanidade viveu durante milênios e milênios estruturando seu conhecimento sobre tudo aquilo que lhe era objetivo e visível - e deixou em seu inconsciente uma série de conceitos que foram atuados através as histórias e mitos e símbolos... até que finalmente pôde constatar que havia muito mais, que a vida era bem mais ampla, para ainda além de Saturno, para ainda além do além.  Ou seja, enquanto a humanidade vivia com a verdade de que Saturno era realmente o único Senhor do Umbral, o limite do nosso Sistema Solar, arquétipos como Quíron, Urano, Netuno, Plutão e outros existiam sim, porém somente através dos mitos e símbolos e suas histórias míticas e simbólicas.  Toda a humanidade era regida, fundamentalmente, pelos Planetas Pessoais - Mercúrio, Vênus e Marte -, e pelos Planetas Sociais - Júpiter e Saturno.  É certo que muitos dos homens eram também arquetipalizados em suas ações pelos Planetas que ainda não haviam sido descobertos, que não viviam em suas consciências e sim, jaziam em suas inconsciências.  Esses homens foram, realmente, muito iluminados, cada qual ao seu modo.  Porém, foi somente a partir do descobrimento pragmático e óbvio e direto e objetivo e físico e científico de Urano, de Netuno e de Plutão e de Quíron - e outros mais -, é que a humanidade tem tido a grande oportunidade de poder usufruir de maneira mais direta e objetiva e óbvia e física e científica e consciente desses arquétipos instaurados enquanto Planetas Transpessoais!

É bem possível que tenha sido Galileu Galilei quem realizou de forma pragmática e objetiva a grande façanha de mostrar que havia muito mais na vida a ser visto além de tudo aquilo que apenas o olho humano nú podia ver e se permitir compreender.  Isso aconteceu no princípio do Século Dezessete quando Galileu apontou sua simples luneta para Júpiter e viu quatro de suas luas, e depois, quando apontou para Saturno e viu seus anéis!  Um tantinho mais tarde, já com o desenvolvimento dos aparelhos ópticos, W. Herschel, descobriu Urano em 1781. Herschel era um astrônomo amador e a descoberta de mais um Planeta transaturnino foi uma imensa surpresa!  Com a descoberta de Urano, abriu-se uma nova realidade para o conhecimento! 

É interessante observarmos que, a partir do Planeta Urano, os cientistas começaram a observar uma certa estranheza em sua órbita. O astrônomo inglês Adams e o astrônomo francês Leverrier, independentemente um do outro, calcularam a posição do oitavo Planeta - que havia sido indicado em sua existência através seus efeitos gravitacionais sobre Urano.  Em 23 de setembro de 1946, dois astrônomos berlinenses, Galle e D’Arrest encontraram o planeta Netuno - em menos um grau daquele grau que havia sido calculado pelos astrônomos Adams e Leverrier.

É importante que notemos que o Planeta Netuno possui uma arquetipologia de ser inteiramente transcendente e metacientífica e metafísica e não objetivado... mas no entanto, foi descoberto através de cálculos matemáticos inteiramente objetivos e pragmáticos, pena e papel na mão!  E ao ser buscado nos céus estrelados, foi direcionado em seu objetivo de encontro através desses mesmos cálculos e por cientistas bem formados dentro da ciência da física, da matemática e da astronomia, da época !

O astrônomo americano Clyde Tombaugh, pelas quase mesmas razões acima, saiu à procura de mais um  planeta dentro de nosso Sistema Solar e foi bem-sucedido nesta tarefa no dia 21 de janeiro de 1930, ao descobrir Plutão.  Para a descoberta de mais um planeta, Tombaugh foi fotografando (um arquétipo netuniano, a fotografia) praticamente todos os segmentos do céu, por várias vezes... até que um dia viu que um diminuto ponto havia aparecido em um lugar, em fotografias anteriores, e em outro lugar bem próximo, em fotografias posteriores.   Planeta quer dizer Errante, aquele que anda, aquele que se movimenta.  Excluindo as hipóteses de cometas ou asteróides, o novo planeta tomou seu lugar... recentemente destronado pelos astrônomos da atualidade que não mais o consideram Planeta e sim, planetóides, um pedaço de imensa pedra possivelmente remanescente do Cinturão de Oorth, um reservatório-berço de cometas ou de planetóides, nas fronteiras do nosso Sistema Solar.

Ainda mais recentemente, os cientistas vêm descobrindo outras pedras de igual forma interessantes, Quíron, por exemplo, orbitando entre Saturno e Urano; e mais alguns possíveis planetóides transplutonianos, como Sedna, outro exemplo, que alguns astrólogos atuais clamam por ser o possível regente de Libra (o que eu não concordo e nem discordo, apenas pesquiso e aguardo os anos de experiência em consultório me dizerem se sim ou se não). 

Eu pessoalmente, aguardo com ansiosa ansiedade a descoberta de um Transplutoniano - que eu já denomino de Ísis - que venha dar continuidade à essência do arquétipo de Plutão, ou seja, que venha realmente nos apontar para o uso de conhecimentos dos segredos da vida e da morte, do grande revirão da vida e da não-vida, da real transmutação do mundo objetivo e do mundo subjetivo, os segredos da transmutação sendo realmente revelados e trazidos à nossa consciência... pois ainda jazem, praticamente intactos, dentro do imenso reservatório de nossa inconsciência.  É certo porém, que alguns Mestres já nos mostraram que conseguiram alcançar esses conhecimentos: são aqueles que se realizaram plenamente dentro de seus Caminhos da Iluminação e certamente, dentro de seus Caminhos da Liberação ou Imortalidade. A Iluminação pressupõe mente infinita e iluminada; enquanto a Liberação ou Imortalidade é um processo a ser realizado depois somente da Iluminação e pressupõe vida infinita e iluminada.  Mestre Jesus foi uma dessas pessoas que conseguiu essa dupla realização e nos mostrou claramente sobre seus caminhos a todos nós e nos mostrou tudo isso acontecendo a Ele mesmo, através de sua Ressurreição.


Considerações acerca de Netuno e de Plutão
e do Transplutoniano ainda não-descoberto
(que eu denomino de Ísis)

Os Planetas que vêm depois de Saturno - Quíron, Urano, Netuno, Plutão e o Transplutoniano Ísis (que eu aguardo com ansiedade sua descoberta... ) - são denominados de planetas transpessoais, ou seja, todos possuem uma visão além da visão pessoal e social: é uma visão planetária e também é uma visão universalizada.  Netuno e Plutão, fundamentalmente, são considerados, antes de mais nada, Planetas que nos inserem em um imenso contexto social e planetário devido ao fato de que possuem órbitas extremamente longas em suas movimentações de translação em relação ao Sol - Netuno, em 164 anos, e Plutão, em 248 anos!

Sabemos que os signos por onde os Planetas Netuno e Plutão moram em nosso mapa astral, são considerados signos pessoais netunianos e plutonianos para cada um de nós, é claro, mas são fundamentalmente considerados signos geracionais, ou seja, um imenso número de Almas que acabam encarnando dentro de uma mesma situação arquetípica de uma mesma geração, dentro de uma quase mesma realidade de atuação de Transcendência e de Metamorfose e Regeneração no Planeta Terra.  E sabemos também que cada Alma tece seu Risco do Bordado de acordo com o momento absolutamente perfeito e que conte a história do passado, do presente e do futuro que essa Alma pretende viver - em seus Karmas e Samskaras a serem resgatados - no Planeta Terra.

Netuno entra em cena após Urano, o Despertar da consciência mais elevada, e por isso mesmo age através o arquétipo da elevação propriamente dita dessa mesma consciência que potencialmente foi despertada por Urano: é considerado o Planeta da Transcendência, da compreensão de que realmente existe muito mais entre o céu e a terra que a vã mente pode sequer supor... mas que a consciência mais ampliada não somente supõe como a vivencia, inteiramente.  Por outro lado - e certamente por essas mesmas razões -, Netuno também nos mostra que possui um radical outro lado de sua mesma moeda: é o arquétipo da ilusão e da desilusão; do engano e do desengano; do escapismo; da adição aos vícios mais rasteiros e cruéis; da mendicância; da perda, da dissolução, da neblina perene, da nebulosidade que não apresenta a verdade de forma clara e transparente...

Sempre nos lugares onde encontramos Netuno - posição natal e lugar em trânsito - são os pontos referentes a tudo aquilo que devemos trazer da subjetividade à objetividade, em nossa vida.  Porém, em sendo Netuno um arquétipo de real transcendência, é sempre muito difícil sabermos a que essa subjetividade se refere.  Sendo assim, a maioria das pessoas perde a boa oportunidade de vivenciar a real dimensão de elevação espiritual advinda de Netuno e vivenciam tudo isso através de escapismos vários e infelizmente, da adição às várias drogas e aos vários vícios. 

É sempre dentro dos lugares de posição natal e de posição em trânsito que Netuno nos revela sobre as verdades subjetivas de nossa vida que precisam ser trazidas à objetividade. Assim acontecendo, sonhos estruturados em ilusão... se esfumaçam no ar.... e apenas permanecem os sonhos estruturados nos reais desejos da Alma.

Netuno é um Planeta extremamente singular, em sua arquetipologia.  Digo isso porque não se tem muito como compreende-lo: ele sempre nos escapa à compreensão.  É um Planeta que possui sua energia intensa sobre as pessoas voltadas para a arte e para o espírito, para a religiosidade e para a espiritualidade.  Porém, quando as pessoas não são voltadas para essas questões ou mesmo se as usam de forma um tanto enganada - algo bem comum a acontecer estando Netuno envolvido -, suas tendências é a objetivar Netuno através de vícios, escapismos, drogas, esfumaçamento da verdade e das situações da vida.

De alguma forma, sendo Netuno o arquétipo semelhante aos Peixes e à Casa Doze, existe sempre um sentimento de perda envolvido com o Planeta da Transcendência.  E por que falamos em perda?  Porque tanto Peixes quanto a Casa Doze são sinônimos de conclusões, de términos, de finalizações.  Quase sempre, essas questões são vistas como perdas.

Sendo assim, Netuno pode apontar, em nosso mapa astral, em nosso Risco do Bordado, o lugar onde passamos por perdas - efetivamente dentro do mundo da manifestação..., e ao mesmo tempo, o lugar onde essas perdas se transformam em ganhos - efetivamente dentro do mundo da não-manifestação.  Trocando em miúdos: em se tratando de Netuno, de Peixes e de Casa Doze, as perdas são mais objetivas quando vistas e sentidas e vivenciadas dentro do mundo da manifestação.  Quando as perdas são mais subjetivas e vistas e sentidas e vivenciadas dentro do mundo da não-manifestação, elas são transcendidas em ganhos.
.......................

Em sendo Netuno um Arquétipo voltado para a Transcendência, para as conclusões e para as perdas, para os esfumaçamentos, escapismos.... nas situações pessoais e coletivas, é preciso que os eventos que nos vão acontecendo sejam também coadjuvados pelas demais pessoas junto a nós! 
O posicionamento do Planeta Transpessoal Netuno dentro de nosso Risco do Bordado ou mesmo em Trânsito e realizando seus Aspectos - mais harmoniosos ou menos harmoniosos -, nem sempre são inteiramente pessoais e quase sempre nos são bastante sociais e coletivos, pressupondo também questões relacionadas com os eventos e as ações das pessoas em torno à nossa vida!  Sendo assim, é sempre necessário que haja uma adequação de tempos, dentro dos eventos e das situações acontecidas, no palco de nossa vida, nos textos, nos cenários, dos atores principais e nos atores coadjuvantes da grande peça de teatro de nossa vida.

...........................

Plutão é Senhor do Umbral pois permanece praticamente no limite dos Planetas conhecidos e assumidos pelas ciências físicas e metafísicas (mesmo que recentemente tenha sido destronado... pela astronomia, permanece incólume dentro da astrologia).  Plutão já nos aponta para um novo mundo, uma nova visão da vida, já para além dos parâmetros do nosso sistema solar, cujo soberano é o nosso Sol. E sempre Plutão nos fala de muitos, muitos conhecimentos que guarda dentro de si, seus mistérios, seus segredos.  Esses conhecimentos somente poderão ser acessados após nossa passagem de metamorfose e de regeneração plutonianas.  E esses conhecimentos são guardados por Ísis, a guardiã dos segredos do conhecimento.  O homem ainda não está pronto para apreender o arquétipo de Ísis, porém logo, logo, estará, sem dúvida alguma.

Sendo assim, Plutão somente conseguirá realizar a Alquimia da vida infinita e iluminada... caso Ísis, um arquétipo Transplutoniano, o ajude nessa tarefa - a partir dos conhecimentos guardados por Ísis, isso é certo!  E para que consigamos alcançar os conhecimentos guardados por Ísis, para que possamos nos conscientizar desses conhecimentos - que ainda repousam em nossa inconsciência pessoal e coletivo pois que o Planeta ainda não foi descoberto... -, temos que nos posicionar dentro de nosso Caminho da Iluminação e com firme intenção de alcançar nossa meta nesse Caminho: mente infinita e iluminada.
Somente nossa mente infinita e iluminada poderá Alquimizar nosso corpo físico em Corpo de Luz, Corpo Solar, dentro do nosso Caminho da Liberação, com vida infinita e iluminada.   O Liberado, o Imortal, não precisa mais retornar à encarnação pois está liberto da Roda da Vida, da Samsara, assim como a conhecemos.  Se quiser, o Imortal poderá retornar sim, através seu serviço como Bodhisattva.
Também a Alquimia que pode ser vista dentro desses arquétipos é bem revelada quando o homem se torna Homem Sagrado: Mestre Jesus, desde cedo em sua vida, trazia vida ao pássaro morto, transformava a água em vinho, trazia vida ao morto e enterrado Lázaro, curava, transmutava.  Portanto, vemos que ao trilhar o Caminho da Liberação ou Imortalidade - Caminho sendo trilhado por Mestre Jesus quando ingressou na encarnação - a mente iluminada e infinitizada do Homem Sagrado funciona intensamente dentro das energias de Plutão e de Ísis, com o conhecimento profundo acerca da verdadeira metamorfose e da verdadeira regeneração.
................

Plutão, em sendo o regente de Escorpião e da natural e correlata Casa Oito, nos traz o sentido da metamorfose e da regeneração.  Tudo isso pode ser visto através o próprio desenho do número 8: é o desenho do infinito.  É o desenho do Consciente aliado ao Inconsciente; é o desenho do mundo da manifestação aliado ao mundo da não-manifestação; é o desenho de tudo aquilo que encontra sua morte, sua transmutação, para caber dentro de uma nova vida, de uma transmutação de sua realidade.  Também em Plutão veremos tudo aquilo que a humanidade entre si compartilha,  a própria natureza e toda a riqueza que essa natureza nos traz.  Isso acarreta o poder. Tudo isso, em seu 8 que  acolhe a infinitude, traz o conhecimento.

Em sendo Plutão um Arquétipo voltado para o poder e o conhecimento, segredos e mistérios, para a metamorfose e para a regeneração, nas situações pessoais e coletivas, é preciso que os eventos que nos vão acontecendo sejam também coadjuvados pelas demais pessoas junto a nós! 

O posicionamento do Planeta Transpessoal Plutão dentro de nosso Risco do Bordado ou mesmo em Trânsito e realizando seus Aspectos - mais harmoniosos ou menos harmoniosos -, nem sempre são inteiramente pessoais e quase sempre nos são bastante sociais e coletivos, pressupondo também questões relacionadas com os eventos e as ações das pessoas em torno à nossa vida!  Sendo assim, é sempre necessário que haja uma adequação de tempos, dentro dos eventos e das situações acontecidas, no palco de nossa vida, nos textos, nos cenários, dos atores principais e nos atores coadjuvantes da grande peça de teatro de nossa vida.

Transplutoniano, que eu denomino de Ísis, guardiã dos conhecimentos não-revelados. 
Eu penso que os conhecimentos advindos de Ísis não estão ainda dentro de nossa possibilidade de vir a entende-los enquanto conhecimentos. Veja bem, caro Amigo das Estrelas, eu disse a palavra AINDA.  Penso que em tempos não distantes, teremos a oportunidade para tanto, assim eu penso e espero.  Os Conhecimentos que já amealhamos vêm sendo concretizados por Saturno e recentemente, vêm sendo extrapolados em suas verdades através o arquétipo de Urano.  No entanto, os conhecimentos a nós referenciados através Ísis, a meu ver, serão por nós obtidos somente quando estivermos recebendo nossa Proficiência de nossa Iniciação obtida através o arquétipo de Plutão, o metamorfoseador e o regenerador.   E essa Iniciação nos estará colocando em nosso Caminho da Iluminação, para obtermos mente infinita e iluminada.  Após esse Caminho, e ainda para podermos realmente nos sintonizarmos com os conhecimentos advindos de Ísis, teremos que nos estar colocando em nosso Caminho da Liberação, ou Imortalidade, com vida infinita e iluminada.
Portanto, para que possamos compreender os conhecimentos advindos de Ísis, eu penso que existem duas possibilidades:

Uma, que a Terra, nosso Planeta Mãe-Gaia, já tenha passado por um tal Revirão de vida e de morte, que a ciência possa vir a apresentar à metaciência, que a física possa vir a apresentar à metafísica, a localização objetiva do ainda subjetivado Planeta Ísis.  Isso acontecendo - assim como aconteceu em relação a Urano, a Netuno, a Plutão e a Quíron e demais alguns outros pedaços de pedra... - toda a questão de Ísis poderá vir à tona da nossa consciência pessoal, social e planetária, advinda do nosso inconsciente pessoal, social, coletivo e planetário.  O Planeta Terra e nós poderemos nos colocar já estruturadores desses conhecimentos e somente então - somente então - os perceberemos enquanto conhecimentos, não antes, não ainda.

A meu ver, não estamos longe desse momento, não estamos não.  Espero mesmo, que esse momento chegue enquanto eu ainda estiver nesse plano de materialização do Planeta Terra - nem que seja para ratificar - ou não - minha teoria sobre Ísis.

.............

Penso que Ísis já é um aspecto daquilo que podemos compreender como o Bodhisattva: ela tinha uma missão já inteiramente conscientizada, no Planeta Terra, e não descansou enquanto não a cumpriu: trazer seu filho à luz da vida, advindo da não-luz da morte.

E, ao dizer-se que Hórus era um deus-falcão, filho de Ísis plenamente viva e de Osíris ressuscitado o tempo suficiente para poder gerar o filho da vida e da morte..., e que mais tarde Hórus conseguiu realizar a vingança de Ísis eliminando Seth, o usurpador da vida e da morte, vemos que, a partir de Plutão e de Ísis, da morte e da ressurreição para uma nova vida, o deus-falcão vai encarnar, realmente, a sabedoria transmitida por sua mãe e levar essa sabedoria adiante - pois já traz consigo a verdadeira fusão da Alma e do Espírito, a realização suprema da mente infinita e iluminada e da vida através o corpo infinito e iluminado.

Possivelmente, se for realmente verdadeira a presença de Ísis entre nós através a figura física de um Planeta Transplutoniano a ser descoberto no futuro..., quem sabe também não nos encontremos com um outro Planeta, em seguida, através a figura física de Hórus?

E mais: se virmos a figura do Falcão buscando materializar em si mesmo a Lua e se fusionando com o Sol..., iremos encontrar o doce enlace da Alma (Lua) com o Espírito (Sol).

Sobre esse tema, leia o que Cirlot nos diz, em seu dicionário sobre os símbolos, acerca de A Papisa, aquela que ocupa a segunda posição dentro das cartas do Tarot:

“A Papisa - Segundo arcano do Tarot.  Representa Ísis, como divindade da noite.  Aparece sentada, tendo na mão direita um livro entreaberto e na esquerda duas chaves, uma de ouro (Sol, verbo, razão) e outra de prata (Lua, intuição e sensitividade, imaginação).  Seu trono se acha alegoricamente entre duas colunas (porque o dois corresponde ao princípio feminino), as que no Templo de Salomão eram chamadas Jaquim e Boaz, unidas pelo véu que fecha a entrada do santuário.  A primeira coluna (solar) é vermelha e corresponde ao fogo, à atividade; a segunda coluna (lunar) é azul. A tiara que coroa a cabeça da Papisa em um crescente lunar (símbolo das fases, do mundo fenomênico), mostra o predomínio do princípio passivo, refletor e feminino.  Apóia-se sobre a esfinge das grandes interrogações cósmicas e sobre o chão.  Este apresenta ladrilhos brancos e negros alternados, demonstrando que tudo na realidade está submetido à lei do acaso e dos contrastes. “

Bem, sabemos que A Papisa é aquela figura que encobre os conhecimentos, não é verdade ? - diferente da figura de O Papa que os apresenta a quem quer que venha busca-los, sempre. Se diz que para O Papa, os conhecimentos são exotéricos e que para A Papisa, os conhecimentos são esotéricos.  No caso de A Papisa os conhecimentos serão doados, sim, porém somente para aqueles que souberem como ir através o véu da ilusão e da ignorância, o Iniciado.

Na mão direita, ela traz um livro entreaberto ou um rolo de papiro - e veja, ambos estão semi-cerrados, ocultando o conhecimento porém com disposição de abri-los aos Iniciados.  E na mão esquerda, ela possui a Alquimia da fusão entre o ouro e a prata, o Sol e a Lua, o Espírito e a Alma, a razão e a intuição, a sensitividade.

Sabemos que o cérebro direito é o lugar da sensibilidade e é atuado por nossa mão esquerda.  E sabemos que o cérebro esquerdo é o lugar da razão e é atuado por nossa mão direita.  Sendo assim, A Papisa faz a fusão entre essas questões, a alquimia dessas questões, trazendo os conhecimentos estruturados pela razão a serem conhecidos através a sensibilidade e os conhecimentos estruturados pela sensibilidade psíquica a serem conhecidos através a razão.



Quadrados de Netuno e de Plutão

Em nossa aula acerca da Oposição de Urano em trânsito ao nosso Urano natal -  Revirão de Vida -, vimos que também Plutão e Netuno nos acompanham nesse tema com seus Quadrados sendo realizados durante nossos anos quarenta!

Sabemos que Netuno e Plutão possuem andamentos diferenciados em relação às suas movimentações em torno ao Sol: Netuno, em 164 anos e Plutão, em 248 anos.  E sabemos também que existem signos onde determinados Planetas são mais lentos e em outros signos, mais rápidos.

No entanto, veremos que as Quadraturas de Netuno e de Plutão estarão acontecendo, de forma geral, dentro dos tempos que eu denomino de Ponte entre o Segundo e o Terceiro Atos de Vida - nossos anos quarenta e  cinqüenta -, nosso tempo de potencial Revirão da Vida, tempo de a Alma assumir uma maior consciência a respeito do cumprimento de suas missões de vida e também da realização da fusão entre si, Alma, e o Ego; e também já dentro de nosso Terceiro Ato de Vida - nossos anos sessenta e setenta... e em alguns casos de Plutão, até em nossos anos oitenta!  É certo que sempre o tempo de Quadratura é um tempo altamente desafiador, em nossa vida.

Certamente, dentro de nossa visão sobre o Trem da Vida, esse tempo será realmente fundamental para que tomemos consciência mais clara acerca de tudo aquilo que vivenciamos em nossos Vagões e acerca de tudo aquilo que deveremos vivenciar, de forma inteiramente mais inovadora e desafiadora, dentro de nossa Locomotiva.



As Oposições de Netuno e de Plutão

Sem dúvida alguma, nossos anos oitenta ainda podem nos reservar uma imensa surpresa!  São as Oposições de Netuno e de Plutão (????, somente em alguns casos) em trânsito às suas posições originais.

Bem, certamente compreendemos que a Oposição de Netuno é extremamente possível de acontecer, nesse momento de vida, porquanto o Planeta da Transcendência faz a sua revolução em torno ao Sol em cerca de 164 anos.  164 anos divididos por 2 = 82 anos.  Sendo assim, de uma forma geral, podemos realizar nossa Oposição netuniana juntamente com nosso Retorno de Urano e mais um Retorno de Júpiter e também já apontando para mais um Retorno de Saturno e atuando mais uma Oposição de Quíron!

Porém, em termos de Oposição de Plutão que faz sua revolução em torno ao Sol em cerca de 248 anos..., seria impossível que tivéssemos sua Oposição exatamente na metade certeira de sua trajetória... pois que isso aconteceria sempre somente as nossos 124 anos de idade!  E a verdade é que, em alguns casos, é exatamente isso o que acontece, ou seja, a Oposição de Plutão é realizada quando não mais estamos encarnados no Planeta Terra.  Mas sabemos também que, em dado momento de sua trajetória em torno ao Sol, Plutão invade a órbita de Netuno e que isso acontece mais exatamente quando o Planeta da metamorfose e da regeneração se encontra em seu signo natural e correlato, Escorpião.  E, quando de sua aproximação para seu momento de perihélio, Plutão vai realizando seu passeio pelos signos mais vizinhos próximos a Escorpião de forma mais rápida, realmente - assim como vimos mais acima. 

Penso que é um grande privilégio estar na encarnação ainda e vivenciar a Oposição de Plutão, não é mesmo?  De qualquer forma, sabemos que esses signos por onde os Planetas Netuno e Plutão moram em nosso mapa astral, são considerados signos pessoais netunianos e plutonianos para cada um de nós, é claro, mas são fundamentalmente considerados signos geracionais, ou seja, um imenso número de Almas que acabam encarnando dentro de uma mesma situação arquetípica de uma mesma geração, dentro de uma quase mesma realidade de atuação de Transcendência e de Metamorfose e Regeneração no Planeta Terra.  E sabemos também que cada Alma tece seu Risco do Bordado de acordo com o momento absolutamente perfeito e que conte a história do passado, do presente e do futuro que essa Alma pretende viver - em seus Karmas e Samskaras a serem resgatados - no Planeta Terra.

Sabemos que o lugar onde temos nosso Netuno natal, entre outras questões, nos aponta em direção a onde devemos abrir mão do mundo da manifestação em prol do mundo da não-manifestação.  É uma perda que pode vir a ser considerada como um ganho - tudo depende do ponto de vista, se perde fisicamente mas se ganha metafisicamente.

Sabemos que o lugar onde temos nosso Plutão natal, entre outras questões, nos aponta em direção a onde devemos realizar nossa metamorfose e nossa regeneração de tal forma, que certamente o lugar oposto ao Plutão natal se torna seu lugar de honra, a ser inteiramente realizado, assim esperamos, nessa encarnação.

Sendo assim, quando esses dois Planetas Transpessoais e Universais encontram suas respectivas Oposições, acabam por sinalizar a concretização - pelo menos, a possibilidade de concretização - dessas suas premissas originais!

Portanto, quando Netuno encontra-se diante de si mesmo, ele pode compreender inteiramente o que significa a encarnação, a vida materializada, e o que significa a não-encarnação, a não-vida materializada... e compreende que a linha da vida é absolutamente infinita.... e compreende que não existe nem vida nem morte - apenas uma linha contínua de vida e de transmutação da mesma.  O homem, ao perder seu corpo físico, ganha a estrutura mais nítida de sua Alma que acolhe seu Espírito.  Portanto, não há perda, é apenas uma suposta perda.

E quando Plutão encontra-se diante de si mesmo, ele pode compreender inteiramente o que significa seu verdadeiro lugar nessa encarnação e possivelmente também vibrando essa energia para suas vindouras vidas sucessivas!  O lugar oposto ao nosso Plutão natal  - em signo e em Casa astrológica - é o lugar onde queremos chegar, nessa vida!  O lugar onde nosso Plutão natal mora em nosso Risco do Bordado, aponta para tudo aquilo que trazemos amealhadamente em nossa mente, através nossos Vagões do Trem da Vida: muitas questões serão deixadas para trás, muitas questões serão atualizadas e renovadas e revivenciadas, muitas questões continuarão em pleno uso, uso constante, sempre, nessa vida.  Porém, o lugar oposto ao nosso Plutão natal aponta para tudo aquilo que queremos levar conosco em nossa mente junto à Locomotiva do nosso Trem da Vida, ainda nessa encarnação e para vidas futuras.




Exemplo Prático
Seu Livro de Vida Personalizado

Caminhante/Aluna/Escritora/Terapeuta de Sonhos
(com sua devida permissão)


Sobre seu Netuno, seu Plutão e sua Ísis,
Caminhante, em seu Risco do Bordado

Passemos, então, a comentar um tantinho sobre seu Netuno, seu Plutão e sua Ísis, Caminhante:

Netuno a 13Libra46 Retrógrado -
ainda em Casa Doze porém já querendo adentrar o Ascendente e fazendo Oposição a Mercúrio, Vulcano, Marte, Vênus e Sol e Descendente arianos:

Sabemos que o lugar onde temos nosso Netuno natal, entre outras questões, nos aponta em direção a onde devemos abrir mão do mundo da manifestação em prol do mundo da não-manifestação.  É uma perda que pode vir a ser considerada como um ganho - tudo depende do ponto de vista, se perde fisicamente mas se ganha metafisicamente.

Sendo assim, quando esses dois Planetas Transpessoais e Universais - Netuno e Plutão -encontram suas respectivas Oposições, acabam por sinalizar a concretização - pelo menos, a possibilidade de concretização - dessas suas premissas originais!

Portanto, quando Netuno encontra-se diante de si mesmo, ele pode compreender inteiramente o que significa a encarnação, a vida materializada, e o que significa a não-encarnação, a não-vida materializada... e compreende que a linha da vida é absolutamente infinita.... e compreende que não existe nem vida nem morte - apenas uma linha contínua de vida e de transmutação da mesma.  O homem, ao perder seu corpo físico, ganha a estrutura mais nítida de sua Alma que acolhe seu Espírito.  Portanto, não há perda, é apenas uma suposta perda.
.............................

Minha querida Caminhante, amiga das Estrelas:

Eu penso que você possui um Netuno realmente muito belo, libriano, inefável, sutil, realmente muito belo, ainda adentrado em sua Casa Doze - lugar natural netuniano - e praticamente já inteiramente aliado ao seu Ascendente libriano.

No entanto, eu bem sei, ao longo dos meus anos de trabalho no consultório astrológico, que não é muito fácil vivenciarmos o Netuno de Casa Doze - seja em Libra, seja em qualquer outro signo.  Da mesma forma, também sei de forma inteiramente pessoal, que não é fácil vivenciar os Peixes em nossa Casa Doze - mesmo que seja seu lugar natural e correlato!

É que tanto Netuno quanto Peixes são energias arquetípicas tão sutis, tão inefáveis, tão possivelmente voltados para sua Transcendência em potencial... que nos confunde imensamente em termos de obrigatoriamente estarmos encarnados em um Planeta tão plenamente materializado, assim como nosso Planeta Terra, e dentro de uma Sociedade Global que usa, em sua imensa e esmagadora maioria, conceitos bem menos positivos em relação ao Netuno e aos Peixes e à Casa Doze, ou seja, o escapismo, as drogas, as mendicâncias, a pobreza, o desvalimento, as perdas materiais, os enganos e as ilusões, etc. e tal, inundam nossas vidas e as leis são voltadas para esses atos menos positivos do Netuno, dos Peixes e da Casa Doze e não exatamente para seus atos mais positivos.

É por isso que se diz claramente que existem as leis dos homens e existem as leis de Deus!  Netuno e Peixes e Casa Doze são pertencentes às leis de Deus... mas quando são vivenciados em um Planeta tão materializado quanto nosso Planeta Terra..., essas leis são impostas dentro da visão da imposição das leis dos homens e portanto, lidando com as questões, de forma geral, bem menos positivas em relação a Netuno, a Peixes e à Casa Doze.

Veja você, existem as prisões aprisionantes das pessoas que inflingem as leis dos homens - em Casa Doze; e existem os mosteiros que acolhem e aninham todos aqueles que querem vivenciar suas vidas sob as leis de Deus.  Assim como existem lugares psiquiátricos mais deprimentes ou menos deprimentes mas que sempre acabam sendo lugares de aprisionamento físico ou mental das pessoas que inflingem os conceitos de compreensão dos homens - em Netuno, em Peixes e em Casa Doze.  E existem lugares psiquiátricos e psicológicos e psíquicos e espirituais que caminham aliados às leis de Deus, fusionando essas leis com as leis dos homens.

Então, tudo isso é Netuno, tudo isso é Peixes, tudo isso é Casa Doze.

Se bem me   recordo das tantas e tantas questões que já comentamos em nossas aulas práticas anteriormente, Caminhante, acerca de sua vida pessoal, penso que você veio vivenciando as questões acima - algumas delas - de forma bem intensa em sua vida, não é verdade?  e veja, tudo isso ainda fica mais e mais acirrado para você em função do fato de que você possui Peixes em Casas Cinco e Seis - dando entrada à Casa Seis, inclusive, que é seu lugar de trabalho no Planeta e é o lugar de transcendência do seu Outro, a Casa Doze do seu Outro.

Eu bem me recordo de você me relatando questões dificílimas que você já vivenciou em lugares psiquiátricos.  Eu bem me recordo de trabalhos belíssimos que você vem vivenciando em termos de trabalhar com a realidade psíquica e espiritual e psicológica das pessoas!

Enfim, quero dizer a você que, por mais que a gente tente e tente vivenciar nosso Netuno de maneira mais positiva, enveredando nossos passos em direção ao nosso Caminho verdadeiro da Iluminação..., a gente vive numa Sociedade Planetária quase que inteiramente enredada pelos conceitos menos positivos do Netuno, dos Peixes e da Casa Doze..., entende?

E sabemos que sempre nossa Alma já é sabedora de todas essas circunstâncias.  Aliás, nosso crescimento, nossa evolução espiritual pressupõe esse embate entre as questões do Netuno mais positivo e mais subjetivo e o Netuno menos positivo que leva a uma pretensa objetividade.  Nossa verdadeira missão de vida é sempre transubstanciarmos nosso Netuno mais positivo e subjetivo em Netuno ainda super positivo porém já bem objetivado!  Nessa tarefa, certamente poderemos contar com a ajuda de nosso Plutão, em signo e em Casa astrológica e em Aspectos que ele realiza não somente com nosso Netuno como também com o resto do Baile de Arquétipos.

Outra questão também muitíssimo importante a ser comentada com você, Caminhante, é o fato de seu Netuno libriano natal não somente estar fazendo parte atuante ainda de sua Casa Doze e estar ta aliado já ao seu Ascendente libriano e certamente sendo acolhido por seus Vagões librianos de seu Trem da Vida já em Casa Um...., é o fato de que tudo isso faz Oposição, Oposição, Oposição, Oposição, ou seja, em signos e Casas  opostas e complementares, ao seu Mercúrio, ao seu Vulcano, ao seu Marte, ao seu Vênus, ao seu Sol e ao seu Descendente e à sua Locomotiva de seu Trem da Vida!  céus! Céus!

Netuno em Oposição ou Conjunção ou Quadrado ou Quincúncio ou Sextil ou Semi-sextil ou Trígono ao Sol é sempre um Netuno de imensa importância.  Da mesma forma, os Aspectos mais intensos de Netuno com a grande cruz de encarnação: Asc, Desc, MC e FC!  E você possui tudo isso e mais outras coisitas más!

Netuno em Oposição ou Conjunção ou Quadrado ao Sol, de forma geral, vai trazer à pessoa duas circunstâncias que ela poderá vir a vivenciar de acordo com seu momento de vida e com a ampliação de sua consciência: a pessoa poderá ser meio ‘tonta’, digamos assim, uma palavra bem netuniana, em termos de quem é essa pessoa na realidade, pode haver alguma confusão em termos de assumir nitidamente sua própria identidade; a pessoa poderá possuir uma espiritualidade bastante grande, alguns chamarão isso de mediunidade, outros chamarão isso de psiquismo intenso....  A verdade é que existirá um grande desafio, uma roda quadrada a ser transformada plutonianamente em roda redonda ao longo da vida, em termos de uso e de manifestação de sua espiritualidade intensa, de sua energia psíquica intensa, de sua mediunidade intensa, de sua força de ação dentro do espírito e da arte, dentro da inter-relação entre os mundos da manifestação e da não-manifestação.

Seu Netuno rege parte de sua Casa Cinco - lugar de filhos, de amores, de criação e de empreendimentos - e dá entrada à sua Casa Seis - lugar de trabalho dentro da encarnação, de vivência do cotidiano de vida e de manutenção do bom corpo físico e dos demais corpos.  Os antigos alfarrábios nos diziam que a Casa Seis com Peixes era bom para um escravo!  De qualquer forma, sendo uma das palavras da Casa Seis o Servir..., de alguma maneira, a pessoa se torna uma Servidora do mundo, realmente.

E não contente com tudo isso, seu Netuno faz a Oposição aos seus Planetas todos em Áries e ao seu Sol e ao seu Descendente, e em seguimento, à sua Locomotiva de seu Trem da Vida.

Se juntarmos tudo isso com o fato de que Netuno é sempre o grande espelho... e Peixes também e Casa Doze também e que Libra é sempre o desejo de realização do desejo do Outro e o desejo de manutenção do bom equilíbrio dos dois pratos da Balança que vão falar de nosso Eu Sou e do nosso Nós Somos ou Você É...., vemos que Netuno em Libra nos trouxe uma ninhada planetária com dois compromissos: o primeiro seria o de manifestar a dissolução do casamento de forma tão arraigada que costumava ser, anteriormente.  E o segundo, seria o de assegurar esse casamento, sem dúvida alguma, dentro de uma visão mais transcendente... ou... dentro de uma visão mais escapista e iludida, pretensa visão do casamento.  Mais tarde, quando aconteceu a passagem de Plutão em Libra e de Urano em Libra, esses casamentos se tornaram mais autênticos, mais libertários e mais transformadores -  suas ninhadas vieram nos ensinar mais e mais sobre esses temas.

Em sendo seu Ascendente também em Libra e seus Vagões em Casa Um do seu Eu Sou também em Libra e em signo de Nós Somos; e em sendo seu Sol inteiramente querendo adentrar seu Descendente, seu lugar do seu Outro, porém em Áries, do Eu Sou... acabou você vivenciando ao longo de quase toda sua vida o desejo do seu Outro e a ação do seu Outro e certamente, seu próprio desejo e sua própria ação - mas volta e meia, eu vejo você sabedora conscientemente de tudo isso e volta e meia, eu vejo você muito nebulosa em relação ao tudo isso - um tanto sem definição em relação até onde é você e onde começa seu Outro e vice-versa.

E não me recordo se já comentei com você, ou não, em nossos trabalhos práticos, o fato de que me chamou a atenção alguns de seus relatos sobre algumas das vezes em que você quis sair fora do seu casamento: houve uma vez em que um dos seus filhos teve uma febre altíssima; houve outra vez em que você adoeceu psiquicamente, terrivelmente.  Será que estou enganada?  Em parece que já li você comentando sobre esses dois fatos.

Bem, já comentamos mil vezes sobre o fato de você emprestar demais da conta seu mapa natal para seu Outro , o que traz Plutão leonino ainda nas entranhas de sua Casa Quatro e já querendo adentrar a Casa Cinco, dos filhos, do seu Outro.

E certamente sabemos que Peixes e Netuno e Casa Doze bem como Quíron e Virgem e Casa Seis são arquétipos relativos a doenças físicas ou psíquicas ou espirituais, não é verdade?

E dizem alguns alfarrábios que Netuno é perda ou abandono - e é, realmente -, e que Plutão é culpa - sobre isso, ainda estou pesquisando.

Portanto, é possível que o sentimento da culpa sobre o abandono ou a perda, tanto para você quanto para seu Outro, é possível que tudo isso tenha restado em seu inconsciente pessoal e coletivo (talvez herdado da história de perda e de abandono de sua mãe e do Outro dela, seu pai).

Então, eu vejo você um tanto sempre indecisa sobre quem é você e sobre quem é seu Outro e até onde é você e até onde é seu Outro... com um terrível medo de que, ao abandonar e perder você e seu Outro, você fique terrivelmente doente ou acabe perdendo seus filhos, etc. e tal,  .... será que estou muito errada?

De qualquer forma, seu Netuno tão oposto às suas ações fundamentais e pessoais - seu Marte e seu Vênus arianos - e tão oposto ao seu Sol - que é seu elemento masculino, Yang, fundamental -, lhe trazem alguma nebulosidade em sua visão dessas questões e em suas conseqüentes ações.  Será que estou enganada?

Por outro lado, exatamente por você poder passar, em carne e em osso e em alma e em espírito e em ego, por todas essas questões... é que tudo isso faz de você uma pessoa inteiramente consciente e sabedora de todas essas circunstâncias nas outras pessoas!  Não é verdade que Quíron sofre e sofre suas próprias dores e por isso mesmo pode se tornar mestre dos mestres exatamente dentro dessas mesmas dores?  É por isso que Quíron é o curador ferido e Mestre dos mestres!  Pense nisso.

E mais: a presença do Plutão leonino fazendo trígono com seu Descendente e com seu Sol e fazendo Sextil com seu Netuno libriano, deveria ajudar você na tarefa de poder desanuviar a possível nebulosidade em termos pessoais, em sua vida, e ao mesmo tempo faz de você uma curadora de mão cheia para poder ajudar seu Outro a fazer a mesma coisa, entende?


Plutão a 14Leao15 Retrógrado
- em Casa Dez e em seguimento a Ceres leonina e a Ísis leonina e já querendo adentrar a Casa Onze em Leão, onde Saturno também mora, ao finalzinho do signo do Leão.

Gostaria de lhe dizer, Caminhante, que seu Plutão em Leão lhe trará a grande benesse de poder realizar sua Oposição com você adentrando seus anos oitenta, juntamente com a Oposição de Netuno e com o Retorno de Urano!  Júpiter também estará fazendo mais um Retorno, Quíron, sua Oposição e Saturno se encaminhando para seu Terceiro Retorno!

Então, pense nisso, pense em bem poder assegurar sua saúde física e sua saúde psíquica e sua saúde espiritual para bem poder vivenciar sua década dos oitenta anos, Caminhante, trabalhe por isso, reze ao seu anjo da guarda.

Podemos então concluir que é um grande privilégio estar na encarnação ainda e vivenciar a Oposição de Plutão, não é mesmo?  De qualquer forma, sabemos que esses signos por onde os Planetas Netuno e Plutão moram em nosso mapa astral, são considerados signos pessoais netunianos e plutonianos para cada um de nós, é claro, mas são fundamentalmente considerados signos geracionais, ou seja, um imenso número de Almas que acabam encarnando dentro de uma mesma situação arquetípica de uma mesma geração, dentro de uma quase mesma realidade de atuação de Transcendência e de Metamorfose e Regeneração no Planeta Terra.  E sabemos também que cada Alma tece seu Risco do Bordado de acordo com o momento absolutamente perfeito e que conte a história do passado, do presente e do futuro que essa Alma pretende viver - em seus Karmas e Samskaras a serem resgatados - no Planeta Terra.

Sabemos que o lugar onde temos nosso Plutão natal, entre outras questões, nos aponta em direção a onde devemos realizar nossa metamorfose e nossa regeneração de tal forma, que certamente o lugar oposto ao Plutão natal se torna seu lugar de honra, a ser inteiramente realizado, assim esperamos, nessa encarnação.

Sendo assim, quando esses dois Planetas Transpessoais e Universais - Netuno e Plutão -encontram suas respectivas Oposições, acabam por sinalizar a concretização - pelo menos, a possibilidade de concretização - dessas suas premissas originais!

Quando Plutão encontra-se diante de si mesmo, ele pode compreender inteiramente o que significa seu verdadeiro lugar nessa encarnação e possivelmente também vibrando essa energia para suas vindouras vidas sucessivas!  O lugar oposto ao nosso Plutão natal  - em signo e em Casa astrológica - é o lugar onde queremos chegar, nessa vida!  O lugar onde nosso Plutão natal mora em nosso Risco do Bordado, aponta para tudo aquilo que trazemos amealhadamente em nossa mente, através nossos Vagões do Trem da Vida: muitas questões serão deixadas para trás, muitas questões serão atualizadas e renovadas e revivenciadas, muitas questões continuarão em pleno uso, uso constante, sempre, nessa vida.  Porém, o lugar oposto ao nosso Plutão natal aponta para tudo aquilo que queremos levar conosco em nossa mente junto à Locomotiva do nosso Trem da Vida, ainda nessa encarnação e para vidas futuras.

.....................

bem, sempre estamos conversando com você, minha amiga das estrelas, sobre a questão de você ser tão ariana mas ao mesmo tempo tão libriana e quanto isso permite você ser seu Outro e permite ao seu Outro ser você e quanto isso volta e meia não é muito legal em sua vida, porque confunde a você mesma e ao seu Outro e por outro lado, o quanto isso é fundamental para você e para seu Outro, porque ajuda imensamente a você mesma e ao seu Outro.  A questão é se saber com transparente certeza e transparente consciência: quando e como e onde e por que realizar a fusão libriana ariana de forma tão intensa e quando e como e onde e por que não realizar isso?  essa é sua grande questão de vida....  não existe uma grande pergunta para cada um de nós tentarmos solucionarmos em nossa encarnação?  Me parece que a sua pergunta e a solução reside nessa questão que sempre viemos comentando, Caminhante.

Em se tratando do Netuno libriano, como já comentamos mais acima, volta e meia, ele lhe dá uma imensa ajuda e volta e meia ele lhe confunde ainda mais!

Em se tratando do Plutão leonino, a mesma coisa!  E a mesma coisa tende a acontecer em função do fato de que o signo onde Plutão mora é o signo do Leão e se você empresta seu Sol ao seu Outro, Sol ariano, você estará doando ao seu Outro o trono de majestade e de reinado leoninos e ação direta e incisiva e singular do seu Outro... entende?  Quando na verdade, tudo isso é antes de mais nada, somente seu, Caminhante.

Mas estamos falando de Plutão - que trabalha muito bem tanto ao lado de Netuno, no sentido de atuar a Transcendência ou o Escapismo de seu Desejo, no sentido de manifestar a ação do Desejo de forma construtiva ou de forma não tão construtiva... em termos de Karmas e Samskaras, é claro que Plutão tem uma função absolutamente imensa: o signo que mais pode nos trazer Samskaras negativos é certamente Escorpião, tanto dessas reações a serem vivenciadas em futuras vidas quanto essas reações já estarem sendo vivenciadas em nossa vida de aqui-e-agora!

Mas estamos falando de Plutão - que trabalha muito bem também ao lado de Urano, no sentido de ambos atuarem as imensas transformações de vida e o redesenhamento de nosso Risco do Bordado ao longo de nossa vivência em nosso Trem da Vida - fundamentalmente em nossos anos quarenta quando nos acontece nosso tempo de Revirão de Vida, com a potencial maior consciência nossa acerca de nossa Locomotiva de nosso Trem da Vida, através Urano, o Despertar da Consciência, e com nossa ação de deixarmos para trás uma série de bagagens que não nos são mais interessantes e que estão atulhando nossos Vagões e também na descoberta, na revelação, de alguns outros Vagões e suas bagagens que deverão ser trazidos à nossa consciência para serem usados, de forma inovadora e modernizada, em nossa Locomotiva de nosso Trem da Vida.

As pessoas aninhadas em Plutão em Leão - Planeta em Signo atuando de forma Geracional... -, têm a grande necessidade de buscarem suas Identidades Pessoais e Essenciais - isso é vital.  E em seu caso, Caminhante, é certo que também seu Saturno em final de feira de Leão lhe ajuda - ou lhe traz rédeas - imensamente nessa tarefa de você buscar usar sua grande luz pessoal.  E veja você, você é uma ariana de boa cepa, existe um Eu Sou intensamente iluminado em você, entende, ao mesmo tempo que você traz ao seu Outro esse Eu Sou intensamente iluminado. 

Como um exemplo disso, ao você compor uma beleza de imagem para ilustrar o texto do francês mestre, me esqueci o nome dele, você está usando seu Leão de Casa Dez já voltado para Casa Onze e você está usando seu Sol ariano de Casa Seis e junto ao Descendente - tudo isso tanto para você quanto para seu Outro, percebe?  O que não é muito bom demais da conta, Caminhante, é você deixar tudo isso para seu Outro - ou em termos do acima descrito ou em termos de você estar por detrás do seu Outro, e seu Outro realizando a si mesmo singularmente e arianamente e criando suas raízes leoninas e criando suas criações leoninas e você fazendo tudo isso acontecer, entende?  Tudo isso pode acontecer, sim, mas existe a necessidade de você, Caminhante, tomar a consciência sobre tudo isso, fazer tudo isso de forma inteiramente consciente... senão a nebulosidade netuniana pode estar tomando conta de você, percebe?

Os alfarrábios nos dizem que nosso lugar plutoniano - signo e Casa e Aspectos - vem nos falar tudo isso sobre tudo aquilo que trazemos enquanto bagagem da Alma para ser vivenciada nessa encarnação... exatamente em termos de ir buscar sua oposição, seus termos opostos e complementares, ou seja, temos que vivenciar nesta encarnação o signo oposto, a Casa oposta e os Aspectos também acarretados opostamente em tudo aquilo que encontramos em nosso Plutão natal!

Em sendo você libriana e ariana de boa cepa, Caminhante, você vem fazendo isso, sim, realmente, apenas que muitas dessas questões você vem acionando através seu Outro - e possivelmente seu Outro mais próximo, seu marido.  É possível que você tenha que ainda ter que vivenciar intensamente essas questões opostas e complementares através de você mesma, Caminhante, e certamente seu tempo de Oposição plutoniana - em sua década dos anos oitenta - estarão lhe ajudando imensamente nessa sua tarefa de encarnação, minha amiga das estrelas!

Ou seja, sua Alma vem muito conformada e consistente em atuar com sua luz social e planetária.  Ela tem que continuar a assim fazer, isso é certo, mas tem que aprender a espargir isso entre seus filhos, entre seus amigos sociais e planetários (que também são seus filhos) e entre suas criações pessoais adjuntadas às criações sociais e planetárias do seus demais filhos dentro de um organismo aquariano - tudo isso em função do fato de que Plutão estará em Aquário, ainda dentro das raízes de Casa Quatro aquariana e já voltado para adentrar sua Casa Cinco aquariana!

Ainda tentando ilustrar essa questão: não somente sua Alma reconhece seu trabalho em relação ao Leloup, por exemplo, fazendo a ilustração de imagem do texto dele e do pensamento e dos conhecimentos dele (que você agrega aos seus próprios porque os reconhece enquanto verdadeiros), como você mesma pode botar no papel seus próprios conhecimentos, Caminhante, e fazer as ilustrações e imagens dos mesmos, entende, e ao mesmo tempo se sentir pertencente ao grupo que estará tomando ciência desses conhecimentos.

Enfim, eu vejo seu Plutão tendo lhe dizer, Caminhante, que você é tão importante quanto seu Outro - que você não precisa ficar em sua sombra netuniana, entende?  Seu Outro é importante (assim você reconhece em sua essência essencial e verdadeira)... mas você é também tão importante quanto seu Outro.  Assim você fazendo, haverá uma verdadeira reunião aquariana em sua vida, entende?  Se você não encontrar o grupo aquariano onde isso poderá vir a acontecer, então vá fazendo suas criações por você mesma... até que seu grupo apareça, entende, e se aglutine a você.


Ísis a 04Leão47 Retrógrado:

Bem, agregado o texto acima sobre Plutão leonino para você, Caminhante, encontraremos sua Ísis bem conjugada a esse Plutão  e não somente isso, encontraremos também sua Ceres, a deusa da alimentação objetiva e subjetiva e mãe poderosa (que lutou com Plutão para ter sua filha consigo e por isso mesmo trazer o verão ao nosso mundo e à nossa vida!) - e tudo isso advindo de sua Parte da Fortuna Social ainda dentro do signo de Câncer, seguindo seu Meio do Céu canceriano, que por sua vez, segue sua Lua canceriana de Casa Nove que segue sua Pallas e seu Urano geminianos de Casa Nove!

Temos aqui alguém extremamente voltado para nutrir a si mesmo em termos de conhecimentos e trocas e movimentações de expressão ampla de comunicação com as pessoas, alguém que depois de nutrir a si mesma se coloca em posição a nutrir seus filhos pessoais e seus filhos do mundo; alguém que está inteiramente adentrada em sua Biblioteca de Alexandria - que pode passar ali seis meses em sua vida sim, e seis meses não - alguém que possui o poder iluminado do conhecimento em suas mãos.

Um Pequeno Resumo sobre Urano, Netuno, Plutão e Ísis

Bem, Caminhante, ao longo de nossos últimos trabalhos práticos, viemos conversando mais profundamente sobre Urano, sobre Saturno, sobre Quíron, sobre Júpiter, e agora, sobre Netuno e sobre Plutão e sobre Ísis - e no próximo trabalho prático, estaremos conversando mais aprofundadamente sobre tudo isso e ainda mais, sobre os Ciclos dos Nódulos Lunares, o Trem da Vida fazendo suas viagens pelas terras aonde a cobra morde a cauda, o Ourobouros de nosso Risco do Bordado, de nossa Mandala Astrológica.

É certo que cada arquétipo possui um imenso leque de possibilidades de gradação simbólica em si mesmo e que tudo isso pode vir a ser vivenciado por nós ao longo de nossa vida de acordo com nosso cumprimento de resgates de Karmas e Samskaras, de acordo com nossa índole essencial, nosso Dharma e de acordo com nosso Livre-Arbítrio estruturado em nossos Karmas e Samskaras, em nosso Dharma e em nossa consciência sempre pronta a ser ampliada, expansionada, acordada.

Urano é o Planeta que, de forma geral e dentro do escopo, do contexto existente no Baile dos Arquétipos apresentado por nossa Alma através nosso Risco do Bordado, - vem Urano nos trazendo nosso Despertar para uma consciência mais elevada e já bem conscientizada de suas ações em termos Pessoais e em termos Sociais e já pronta para assumir suas ações em termos Planetários e Universalizados!

Seu Urano em final de Gêmeos, seguindo sua ativíssima e lutadora Pallas Athenas, ambos em sua Casa Nove, veio lhe trazendo da Alemanha e situando você no Brasil mas sempre conservando você bem alemã e ao mesmo tempo, bem brasileira, confirmando bem essa duplicidade que sempre podemos ver dentro dos Gêmeos.  E sua Lua canceriana que segue Pallas e Urano geminianos de Casa Nove, vem ratificar o fato de que seja onde for, Caminhante é sempre Caminhante, Caminhante sempre coloca seus enraizamentos de vida, Caminhante é sempre mãe e filha, em vários sentidos dessa maternalidade e dessa filiação e desses enraizamentos!

Eu vejo em você, Caminhante, uma imensa atuação de sua Casa Nove - nosso próprio Curso de Astrologia da Alma e do Auto-Conhecimento é exemplo claro disso!  Além disso, quero lhe dizer de todo meu coração que você é sempre uma inspiração imensa para mim em termos de ir confeccionando meus textos, minhas aulas, meus livros, meus jornais!  E tudo isso me acontece em função do fato de você ser tão libriana - exaustivamente  comentado esse tema com você - e em função dessa Pallas aliada ao Urano geminiano em sua Casa Nove que é minha Casa Três e em sua Lua tão canceriana que faz sinastria com meu Sol canceriano, também ainda dentro da minha Casa Três.

De alguma forma, você e eu somos espelhos uma da outra, não é mesmo, porque onde começa seu Ascendente, começa meu Descendente.... e vice-versa.

Eu gosto muito de sua Pallas com seu Urano geminianos de Casa Nove e mais sua Lua canceriana já querendo alcançar seu Meio do Céu canceriano e sua Parte da Fortuna Social, tudo bem canceriano!  Gosto de tudo isso porque vejo seu imenso talento enquanto escritora, minha amiga das estrelas, falta somente você acreditar em seu talento, entende?  Sua Pallas e seu Urano geminianos de Casa Nove lhe dão a possibilidade de você poder expressar conceitos sociais e coletivos e universais dentro de sua capacidade pessoal e plural de se expressar pessoalmente e pluralmente, entende?  E sua Lua canceriana faz tudo isso e ainda traz um toque maravilhoso de sensibilidade psíquica xplux, de imaginação fantástica, de sensibilidade e de sensitividade e de sentimento e de emoção e de interiorização, de gestação e parição e nutrição e educação de seus tantos e tantos filhos/leitores em potencial que você tem, cara amiga das estrelas!

Se eu fosse você, ah, Caminhante, eu me sentava para escrever um romance após o outro!  Você tem talento para escrever romances como também tem talento para escrever sobre tudo aquilo que vem aprendendo em sua vida, sobre a história de sua família, sobre a história das pessoas, sobre o conhecimento plural.  Seus Gêmeos lhe traz a racionalidade e seu Câncer lhe traz a sensibilidade e a imaginação.  Tudo isso em Casa Nove tem combustível bastante para fazer de você uma escritora de mão cheia, Caminhante.  Também eu vejo você escrevendo livros assim do jeito que o Paulo das quantas faz, entremeado romance com o conhecimento espiritual.  Você é excelente em imagens do inconsciente pessoal e coletivo, em arquétipos. Céus!  Você tem uma bandeja de ouro em suas mãos, Caminhante, seu mapa é muito privilegiado.

E Netuno lhe traz um Trígono por signo com sua Pallas e com seu Urano e aprofunda intensamente tudo aquilo que eles sabem e querem se expressar e saber mais e ainda: seu Netuno espelha não somente aquilo que é importante do inconsciente pessoal e coletivo para você mesma, Caminhante, ele também espelha seu Outro e tudo aquilo que é importante do inconsciente pessoal e coletivo do seu Outro em relação ao seu Outro e ao mundo que seu Outro povoa, percebe?   E Netuno faz Oposição com seu Sol e com sua Lua faz Quadrado! Céus, ele desnuda, literalmente desnuda seus arquétipos de Sublime Yang e de Sublime Yin = nada escapa de você, Caminhante, se você bem souber levantar seu véu de Ísis, minha querida amiga das estrelas.  E por que não fazer isso e usar sua ação direta e intuitiva e incisiva do seu Sol ariano e a sensibilidade xplus de sua Lua canceriana?

Em falando sobre o véu de Ísis, Caminhante, vamos encontra-la leoninamente morando em sua Casa Dez e ao lado da alimentadora e mão poderosa e lutadora com Plutão, Ceres, e vamos encontrar também o próprio Plutão, iluminado leoninamente, dentro da Casa Dez todos mas já querendo todos adentrar a iluminação leonina de sua Casa Onze - onde Saturno aguarda todos em final de feira do Leão, em grau de compartilhamento com o mundo acerca de toda a iluminação de sua pirâmide tão bem apresentada ao mundo!

Entre em sua pirâmide, Caminhante, e traga à tona os conhecimentos que nela residem: sua Alma assim quis.

Meu conselhinho final nesse trabalho seria o de você não afunilar sua vida através uma só pessoa, Caminhante, não use seu Sol ariano e singular adentrando o Descendente ariano e singular para afunilar sua vida através a vida de uma só pessoa.

Com um abraço estrelado,
Janine




Em seguimento, encontre os Títulos/Temas constantes em seus 22 Capítulos/Volumes
de Seu Livro de Vida :


SEU LIVRO DE VIDA
Astrologia da Alma e do Auto-Conhecimento
Obra em 22 Capítulos apresentados em 22 Volumes


Primeiro Tomo
Fundamentando Seu Livro de Vida
Capítulos de 1 a 6

Capítulo 1
O RISCO DO BORDADO
Apresentação da Obra Seu Livro de Vida, em 22 Capítulos
Alguns Conceitos Fundamentais acerca a Astrologia da Alma e do Auto-Conhecimento
Sobre o Trabalho dentro da Consultoria Astrológica e sobre as Ferramentas de Trabalho
Exemplo Prático de Escrita de SEU LIVRO DE VIDA, em sua íntegra


Capítulo 2
O CÉU ESTRELADO
Astronomia e Astrologia
suas Semelhanças e suas Diferenças
SIMULTANEIDADE E SINCRONICIDADE
Arquétipo, Linguagem, Inconscientes Pessoal e Coletivo,
Conscientes Pessoal e Coletivo, Imagens, Mitos e Símbolos
ESCLARECENDO ALGUMAS DIFERENÇAS E SEMELHANÇAS:
Uma conversa entre Caminhantes Estudiosos de Astronomia e de Astrologia e Janine,
em Zigurate moderno, o Sítio das Estrelas
Textos  vários sobre Cosmologia, Astronomia e Mecânica Celeste

Capítulo 3
A MANDALA ASTROLÓGICA
A representação da Terra - através o momento do evento em suas Latitude e Longitude - acolhendo todo o Risco do Bordado: Casas Astrológicas, Signos, Luminares, Planetas, Planetóides e Pontos
SIMULTANEIDADE E SINCRONICIDADE
Inconscientes Coletivo e Pessoal e Consciente: Arquétipo, Linguagem, Mitos e Símbolos
Os Primórdios da Compreensão sobre o Risco do Bordado acolhendo seu Baile dos Arquétipos

Capítulo 4
CASAS ASTROLÓGICAS, SIGNOS, LUMINARES, PLANETAS, PLANETÓIDES
No Grande Teatro da Vida, Cenários, Textos, Atores e Atrizes

Capítulo 5
ELEMENTOS, QUALIDADES E GÊNEROS
Fogo, Terra, Ar e Água - Começo, Meio e Fim - Yang e Yin

Capítulo 6
OS ASPECTOS
O Grande Baile dos Arquétipos em suas interações mais harmoniosas ou menos harmoniosas


Segundo Tomo
Desenvolvendo Seu Livro de Vida
Capítulos de 7 a 17

Capítulo 7
OS TRÂNSITOS
Redesenhamentos sendo acrescentados ao desenho primordial
de nosso Risco do Bordado e seu Baile de Arquétipos, em nossa vida

Capítulo 8
REVOLUÇÕES SOLARES E LUNARES
Redesenhamentos sendo acrescentados à nossa Vida
Em Ciclos Anuais e Mensais

Capítulo 9
As Interações entre Terra/Homem e Lua e Sol - Parte I
 As Fases da Lua e as Meditações de Lua Nova e de Lua Cheia
OS OITO TIPOS DE PERSONALIDADE
Luas da Alma, Ninhadas da Alma, Intenções da Alma
A PARTE DA FORTUNA, O PONTO DE ILUMINAÇÃO E A PARTE DO ESPÍRITO
 Os Eclipses Solares e Lunares

Capítulo 10
As Interações entre Terra/Homem e Lua e Sol - Parte II
O TREM DA VIDA
O DRAGÃO DOS CÉUS, CABEÇA E CAUDA - OS NÓDULOS LUNARES
Quem somos, de onde viemos e para onde vamos
Os Conceitos Fundamentais sobre a Astrologia da Alma

Capítulo 11
As Interações entre Terra/Homem e Lua e Sol - Parte III
O TREM DA VIDA
DRAGÃO DOS CÉUS -  NÓDULOS LUNARES
E SEUS CICLOS
Quem somos, de onde viemos e para onde vamos
Os Conceitos Fundamentais sobre a Astrologia da Alma

Capítulo 12
URANO E SEUS CICLOS
O Despertador da Consciência mais Ampliada que redesenha nossa vida a partir de cortes guilhotinais e inesperados.  A Revelação do Desejo de Encarnação, da Alma.

Capítulo 13
SATURNO E SEUS CICLOS
O Senhor do Tempo, do Umbral e do Karma

Capítulo 14
QUÍRON E SEUS CICLOS
O Curador Ferido e Mestre dos mestres

Capítulo 15
JÚPITER E SEUS CICLOS
O Dharma, o Deus dos Deuses e dos Homens, Benfeitor e Justiceiro

Capítulo 16
NETUNO E PLUTÃO E SEUS CICLOS
A Transcendência
 e a Metamorfose e Regeneração

Capítulo 17
A PROGRESSÃO
A eterna mutação acontecendo no Risco do Bordado,
trazendo os redesenhamentos em nosso Grande Teatro da Vida


Terceiro Tomo
Concluindo Seu Livro de Vida
Capítulos de 18 a 21

Capítulo 18
SINASTRIA E MAPA COMPOSTO
Compreensão mais Aprofundada acerca os Inter-Relacionamentos entre os Seres

Capítulo 19
ESTRELAS E CONSTELAÇÕES (FIXAS)  PROTETORAS
A Interação entre Astronomia e Astrologia
 através a Efetiva Vivência dos Mitos e Símbolos apreendidos através as luzes do céu noturno,
ao longo dos 360 graus da Mandala Astrológica

Capítulo 20
SÍMBOLOS SABIANOS
360 graus da Mandala Astrológica traduzidos em Verdades Universais

Capítulo 21
ARQUEOLOGIA DA ALMA
O Processo de Auto-Cura e de Aprofundamento do Auto-Conhecimento
 através a Expansão da Mente


Epílogo
Capítulo 22
A ESTRELA DE BELÉM
Minha contribuição pessoal para este Tema tão polêmico
Viajantes das Estrelas - fusão entre espiritualidade, astronomia e astrologia
Descrição Detalhada dos 22 Capítulos/Temas/Volumes constantes em Seu Livro de Vida



Quem Escreve SEU LIVRO DE VIDA:


Janine Milward nasceu em Nova Friburgo, RJ, num vale rodeado por belas e altas montanhas, no inverno do hemisfério sul, em 1950.

Já no Rio de Janeiro, enveredou através a Psicologia (infelizmente não concluída) e fundamentalmente, através a Psicanálise como trampolim para melhor entender a psiquê dos homens... quando conheceu mais de perto a Astrologia, estudando autodidatamente e tornando-se então, conselheira astrológica e professora dessa ciência.

Nesse meio tempo, também enveredou pela espiritualidade do Tao primordial, através a espiritualidade e os ensinamentos de Lao Tsé, o Mestre, transcrevendo as aulas gravadas por Wu Jyh Cherng.

Mais tarde, já em Petrópolis e depois, em Sapucaia, passou a intensificar seus estudos de astronomia, mecânica celeste e cosmologia bem como do Tao Primordial, escrevendo sobre o I Ching, o Livro das Mutações, e o Tao Te Ching, o Livro do Caminho e da Virtude.

Em 1998, Janine construiu suas raízes no Sitio das Estrelas. Nesse lugar, encontrou-se com o Tantra primordial através a espiritualidade e os ensinamentos de Srii Srii Anandamurti, O Mestre.

O Sítio das Estrelas é um Ashram, com Janine como Guardiã, e onde mora e trabalha e abre a porteira para receber os Caminhantes que desejam usufruir dos Retiros Espirituais e Encontros sobre os Temas acima mencionados e dos Trabalhos e Vivências em Espiritualidade e Prática na Meditação e em Imersão no Auto-Conhecimento.

Namaskar! Eu saúdo você com minha mente e com meu coração!


Saiba mais sobre os Trabalhos de Janine Milward 
acessando sua Página Principal:

http://paginadajanine.blogspot.com.br/




Com um abraço estrelado,
Janine Milward
Seu Livro de Vida
Compêndio sobre Astrologia da Alma e do Auto-Conhecimento,
Em 22 Capítulos/Volumes
© 2008 Janine Milward


Namaskar!
Eu saúdo você com minha mente e com meu coração!